O ACOMPANHAMENTO TERAPÊUTICO
Por Vítor Mônaco

Acompanhamento Terapêutico

O Acompanhamento Terapêutico é uma modalidade clínica que visa, prioritariamente, a promoção de autonomia, reinserção e/ou manutenção dos vínculos sociais de indivíduos em sofrimento psíquico. É um recurso da chamada clínica ampliada, a qual não se esgota na fala do sujeito dentro do consultório, apresentando-se como uma proposta de olhar e intervenção em situações da vida e do cotidiano da pessoa. Não acontece então dentro do tradicional setting terapêutico, tendo em vista também a ampliação da circulação dos pacientes por espaços públicos, assim como novas formas de circulação dentro dos espaços privados.

É no contexto da Reforma Psiquiátrica, em que novas práticas e composições estavam sendo pensadas dentro do campo da saúde mental, que surge o Acompanhamento Terapêutico. Trata-se de um dispositivo clínico, e também político, que sustenta a importância de um tratamento que se ocupa dos lugares e das relações em que o sujeito está envolvido, se diferenciando de internações, que isolam o individuo de sue contexto social.

A indicação de Acompanhamento Terapêutico pode acontecer em casos de intenso sofrimento psíquico, crises, situações de isolamento social ou em que o sujeito apresente dificuldades de conduzir seus projetos pessoais e tarefas do dia-a-dia. Dependentes químicos, pessoas com deficiências físicas ou mentais, crianças ou adolescentes com dificuldades no processo de escolarização ou socialização, idosos, ou sujeitos acometidos por demais questões psíquicas são exemplos de situações em que o trabalho junto a acompanhantes pode ser potente e trazer benefícios.

Psicólogos e outros profissionais podem exercer o trabalho de acompanhante terapêutico, desde que orientados por supervisões clínicas e comprometidos com a escuta e o olhar para o individuo em sofrimento. Os projetos terapêuticos são pensados junto ao sujeito, a família, escola e os demais profissionais de saúde envolvidos; e os encontros podem ocorrer nos mais variados espaços, como dentro de suas casas, nas escolas, parques, praças, shoppings, etc.

Vitor Monaco - Psicólogo Clínico - Acompanhante Terapêutico – CRP 06/103.303